“As Viúvas” – subversão de perspectiva e de abordagem

>>“As Viúvas” – subversão de perspectiva e de abordagem

“As Viúvas” – subversão de perspectiva e de abordagem

Por | 2018-12-03T20:04:38+00:00 30 de novembro de 2018|Crítica Cinematográfica|0 Comentários

As Viúvas (Widows) (Crime/Drama/Thriller); Elenco: Viola Davis, Liam Neeson, Elisabeth Debicki, Michele Rodriguez, Jon Bernthal; Direção: Steve McQueen; Reino Unido/USA, 2018. 126 Min.

Ele está de volta! Depois de ganhar um Oscar de melhor filme por “12 Anos de Escravidão” (2013) o diretor Steve McQueen assina mais um filme com um roteiro sensacional. Estrelado por mulheres e falando do submundo do crime e da política. Steve McQueen e Gillian Flynn (roteirista) adaptam o livro homônimo de Lynda La Plante para o cinema com maestria. O foco são as viúvas dos gângsteres mortos em uma emboscada, desenhando um painel de táticas de sobrevivência de três mulheres que tem como herança a vida de crimes de seus maridos.

Verônica (Viola Davis); Linda (Michele Rodriguez) e; Alice (Elisabeth Debicki) eram casadas com policiais corruptos e justiceiros que são mortos em uma emboscada. A partir disso, Verônica é cobrada de uma dívida de seu marido, Harry (Liam Neeson) por Jamal (Brian Tyree Henry) e perseguida por Jatemme (Daniel Kaluuya). Então, Verônica procura ajuda das viúvas dos amigos de seu marido. Este é o start para um show de táticas e exercícios de inteligência dentro do universo feminino. Juntando etnias diferentes, níveis e realidades sociais e culturais diferentes de mulheres num mundo majoritariamente feminino, Steve McQueen faz um desenho fabuloso de potencialidades e estratégias pela sobrevivência de mulheres num ambiente selvagem.  Ilustra bem o cotidiano, as dores, as fragilidades e fortaleza dessas mulheres e traz para uma história dura e cruel sensibilidade e astúcia. A roteirista Gillian Flynn de “Garota Exemplar” (2014), mais uma vez elabora bem o desenrolar de uma história inteligente e cheia de reviravoltas.

Quanto aos aspectos técnicos, as atuações de Viola Davis de “ Um Limite entre Nós” (2016); Michele Rodriguez de “Velozes e Furiosos” (2017) e; Daniel Kaluuya de “Corra” (2017) estão estupendas. Adicionando-se a isso a trilha sonora de Hans Zimmer de “Dunkirk” (2017), “As Viúvas” é um filme que apresenta mais do que promete e tem a mesma vibe de “Garota Exemplar” surpreendendo ao longo de sua exibição, no tempo certo, com procedências de argumento, sem exageros emocionais e sem plots twists desnecessários.

“Widows” ( no original) prende a atenção do expectador por duas horas sem que se perceba o tempo passar e ainda tem um desfile de bons atores como Liam Neeson de “Terceira Pessoa” (2013); Jon Bernthal de “The Walking Dead”; Robert Duvall de “O Juiz” (2014) e Colin Farrell de “The Lobster” (2015), para quem é fã. “As Viúvas” é ação com inteligência e charme. Vale o ingresso!

Sobre o Autor:

Amante da sétima arte e escritora por hobby

Deixar Um Comentário