‘Baseado em Fatos Reais’ e o questionamento do real

>>‘Baseado em Fatos Reais’ e o questionamento do real

‘Baseado em Fatos Reais’ e o questionamento do real

Por | 2018-06-21T23:45:50+00:00 14 de abril de 2018|Crítica Cinematográfica|0 Comentários

Baseado em Fatos Reais (D’Apres une histoire vraie/ Based in True Story) (Comédia/Drama/Mistério); Elenco: Emmanuelle Seigner, Eva Green, Vincent Perez; Direção: Roman Polanski; França/Polônia/Bélgica, 2017. 100 Min.

O mais recente filme de Roman Polanski é um suspense muito bem costurado com psicose e confusão entre realidade e fantasia no contexto da literatura. Depois de “A Terceira Pessoa” (2013) de Paul Haggis, que também se situa no mundo da literatura com uma história bastante intrincada, “Baseado em Fatos reais” faz a mesma coisa – questiona realidade e fantasia – na produção de uma obra literária. E faz isso muito bem. Depois de “A Pele de Vênus” (2013) e “Deus da Carnificina” (2011) Roman Polanski continua com sua linha de profundidade em relação às subjetividades. Com um suspense que mistura psicopatia, manipulação e esquizofrenia o longa questiona o que é real.

Delphine (Emmanuelle Seigner) é uma escritora bem sucedida que tem seus livros de literatura estudado em escolas, participa de eventos literários e dá entrevistas. De repente tem um bloqueio criativo e conhece Elle (Eva Green) uma fã incondicional. A relação de amizade se estreita e a amiga domina a vida de Delphine. Esse é o mote para que sejam trazidas à baila relações doentias, a psicose e o processo conturbado de criação de um escritor. Roma Polanski, oscarizado por “O Pianista” (2002) e conhecido pelos filmes “Chinatown” (1974) e “O Inquilino” (1976) faz um trabalho excelente na direção das atrizes Emmanuelle Seigner e Eva Green.

Em relação aos aspectos técnicos, o roteiro é o grande astro. Baseado no livro de Delphine Vigan, o longa foi roteirizado por Olivier Olivier Assays conhecido por “Acima das Nuvens” ((2014) e “Personal Shopper” (2016) e o próprio Polanski. Quanto as atuações de Emmanuelle Seigner de “A Pele de Vênus” e Eva Green de “Sin City: A Dama Fatal” (2014) estão divinas em suas interpretações.

Para fechar, Roman Polanski mostra que essa geração de cineastas octogenários ainda tem muito a oferecer ao cinema, com suas competências, olhar apurado e experiência. Quem vir “Baseado em Fatos reais” dificilmente vai deixar de se lembrar de “Psicose” de Alfred Hitchcock só que dessa vez os holofotes vão para duas musas talentosas.

 

Sobre o Autor:

Editora do site Cinema & Movimento e crítica cinematográfica

Deixar Um Comentário