‘O Retorno de Ben’ e a perda de si

>>‘O Retorno de Ben’ e a perda de si

‘O Retorno de Ben’ e a perda de si

Por | 2019-03-20T12:07:01+00:00 20 de março de 2019|Crítica Cinematográfica|0 Comentários

O Retorno de Ben (Ben is Back)(Drama);Elenco:Julia Roberts, Lucas Hedges, Courtney B. Vance, Kathryn Newton; Direção:Peter Hedges; USA, 2018. 103 Min.

Julia Roberts está de volta à telona como a mãe de um viciado em drogas que tem que monitorá-lo numa visita natalina à casa depois da liberação de uma clínica de reabilitação. O tema é forte, polêmico e necessário. Uma das coisas boas do cinema é a possibilidade de abordar temas que fazem parte do cotidiano de muita gente sem panos quentes. E esse é um dos méritos de “O Retorno de Ben” dirigido por Peter Hedges.

Ben (Lucas Hedges) é um jovem viciado em drogas que é liberado da clínica de reabilitação para passar o natal com a família. O padrasto (Courtney B. Vance) é contra, a irmã mais nova, Ivy (Kathryn Newton) também. Mas, a mãe, Holly (Julia Roberts) os convence. Retira todos os gatilhos, possíveis, da casa e monitora Ben de perto. Até que, velhos amigos de Ben se aproximam. O viés de abordagem do argumento é mostrar o quanto um indivíduo que perdeu-se de si para as substâncias químicas usa de táticas e estratégias para sabotar a si próprio, o quanto pode estar envolvido com o submundo das drogas para além de ser somente um viciado e o quanto o amor de uma mãe é capaz de suportar. “Ben is Back” (no original) pode parecer mais um filme sobre o poder do amor, mas é um painel do que é o processo de dependência, a dificuldade em sair dele e o quanto adoece toda uma família.

O longa tem no elenco atores de ponta para contar essa história. Julia Roberts, eternizada por “Uma Linda Mulher” (1990) e vista recentemente no remake “Olhos da Justiça” (2015) e “Extraordinário” (2017) e Lucas Hedges, filho de Peter Hedges, conhecidos por filmes indicado ao Oscar como: “Manchester à Beira-mar” (2016); “Lady Bird” (2017) e “Três Anúncios Para Um Crime” (2017). Independente disso a dupla manda muito bem como mãe e filho, suas atuações são convincentes e emocionam, além de fazer pensar sobre a questão da dependência química.

Peter Hedges dirigiu o roteirizou o longa. É conhecido pelo roteiro de “Um Grande Garoto” (2002) que foi indicado ao Oscar na categoria. Em “O retorno de Ben” aborda a questão da dependência vista por dentro e proporciona uma viagem por esse mundo através da saga de Holly monitorando seu filho e nos remete ao documentário “Heroina(s)” (2017) em que três mulheres lutam nas ruas, nos tribunais e nas instituições civis para dirimir a questão das drogas entre jovens. “O Retorno de Ben” é um filme necessário e muito bem vindo em tempos de anestesia. Altamente recomendável.

Sobre o Autor:

Editora do site Cinema & Movimento e crítica cinematográfica

Deixar Um Comentário