Sétimo

Por | 2014-10-02T04:47:17+00:00 2 de outubro de 2014|Crítica Cinematográfica|0 Comentários

Sétimo (Séptimo). (Mistério); Elenco: Ricardo Dárin, Belém Rueda, Abel Dolz Doval; Diretor: Patxi Amezcua. Espanha/Argentina, 2013. 88 Min. #festivaldorio2014

Está em cartaz dois filmes com o renomado ator argentino Ricardo Darin, o espetacular “Relatos Selvagens” de  Damian Szifrón e o não tão notável “Sétimo” de Patxi Amezcua de “25 Kilates” (2008) que ganhou melhor filme no festival de Málaga.

septimo_poster

A história consiste num episódio cotidiano que é desespero de qualquer pai e qualquer mãe, perder os filhos de vista a não conseguir acha-los. Neste caso, o pai, Sebástian (RicardoDarín) que vai até o apartamento da ex-mulher Délia (Belém Rueda) de “Mar a dentro” (2004) para apanhar os filhos Luca (Abel Dolz Doval) e Luna (Charo Dolz Doval), que são irmãos na realidade, e leva-los à escola. No meio do caminho, entre elevador e o andar térreo as crianças desaparecem. A trama se dá em torno do desenrolar dessa procura. O desespero, a busca pela lógica, pelo óbvio, se o há, e todas as possibilidades são aventadas. Porém o filme perde na intensidade, na conexão entre os fatos, para o desfecho que é apresentado ao final. O roteirista, Alejo Flah que vem de curtas e séries de TV, escrevendo a quatro mãos com Patxi Amezcua,  não dá conta do recado de levar o suspense num crescendo e corresponder com conexões intrincadas e dicas de olhares ou pistas consistentes que façam o espectador se imiscuir à trama Não se trata de esperar uma trama Hitchcockiana, mas de esperar consistência, que não há. E a sensação é a de ter consumido um sundae sem açúcar, uma certa decepção ao final. Se fosse uma comédia, talvez tivesse um melhor resultado.

setimo

Mesmo tendo sido indicado para ao premio do juri no  festival de filmes de Miami, “Sétimo” deixa uma insatisfação , e a expectativa gerada não é correspondida e fica uma sensação de que faltou algo e que Ricardo Darín poderia ser melhor aproveitado. A impressão que fica é que a intenção foi a de chamar o público do Darin para dar ibope ao filme e pouco se preocupou com o conteúdo da história, mas mesmo assim Ricardo Darin no papel de pai desesperado se saiu muito bem, também pudera, Darin é Darin, não é não?! Mas pra quem quer ver o astro em ação, tá valendo.

estreias-27-de-novembro-05

  • Mostra Première Latina

Sobre o Autor:

Crítica cinematográfica, editora do site Cinema & Movimento, mestre em educação, professora de História e Filosofia e pesquisadora de cinema. Acredito no potencial do cinema para fomentar pensamento, informar, instigar curiosidades e ser um nicho rico para pesquisas, por serem registros de seus tempos como registro de mentalidade, nível tecnológico e momento histórico.

Deixar Um Comentário