Foi dada a largada à 41ª Mostra de Cinema de São Paulo

>>Foi dada a largada à 41ª Mostra de Cinema de São Paulo

Foi dada a largada à 41ª Mostra de Cinema de São Paulo

Por | 2018-06-17T01:00:57+00:00 7 de outubro de 2017|Mostras e Festivais|0 Comentários

 

crédito: mostrasp_fotos


#MostraInternacionalSaoPaulo2017  #Cobertura #Cinema #FestivalDeFilmes

Hoje foi dada a largada na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo com o  anúncio dos filmes confirmados, homenageados e toda a programação, com a presença dos patrocinadores e da diretora da Mostra Renata de Almeida no Espaço Itau de Cinema – Augusta – em São Paulo.

A mostra de cinema paulista acontece de 19/10/ a 01/11/ e conta com 394 títulos de diversos países e 30 curta-metragens. Os filmes serão exibidos em mais de 30 espaços espalhados pela cidade entre espaços culturais e cinemas, incluindo exibições gratuitas ao ar livre. Dos títulos que serão apresentados na mostra 98 são dirigidos por mulheres, como “Esplendor” de Naomi Kawase, “Zama” de Lucrécia Martel. E dentre eles, 18 são dirigidos por brasileiras.

Os Homenageados serão Agnes Varda com o Prêmio Humanidade e com exibição de 11 filmes da cineasta; o diretor Paul Vecchiali com o prêmio Leon Cakoff e o ator Brasileiro Paulo José. O país em destaque é a Suíça apresentando filmes contemporâneos com uma retrospectiva da obra de Alain Tanner, a exibição de curtas do animador George Schwizgebel e um filme inédito do cineasta Jean-Luc Godard feito para TV.

Terá também a competitiva Novos Diretores cujos vencedores receberão o Troféu Bandeira Paulista. Na perspectiva internacional serão apresentados filmes recém-premiados de diretores consagrados e a  produção brasileira ganha destaque disputando o Troféu Petrobrás de Cinema.

A 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo terá, ainda, exibição de filmes no interior de São Paulo através da itinerância promovidas pelo SESC e pelo Instituto CPFL. A tradicional programação do vão livre do MASP incluirá filmes participantes das homenagens ao ator Paulo José como: “O homem Nu” (1997) de Hugo Carvana, “Macunaíma” (1969) e “O Padre e a Moça”(1966) de Joaquim Pedro de Andrade.

O filme de abertura é “Human Flow – Não existe lar se não há para onde ir ”  do artista e cineasta Ai Weiwei que versa sobre a crise mundial dos refugiados  que será exibido no dia 18/10 no auditório do Ibirapuera.  O filme de fechamento é “L’Atelier”  de Laurent Cantet que contará com a presença do diretor.

Lista dos principais filmes confirmados:
 

  • Do Festival de  Cannes:

The Square  – Robert Östlund (vencedor da Palma D’ouro)
Loveless – Andrey Zvyagintsev (prêmio do Juri)
Esplendor – Naomi Kawase (Juri ecumênico)
Happy End – Michael Haneke
O Dia Depois – Hong Sang-Hoo
Lover For a Day  – Philippe  Garrell
A trama – Laurent Cantet
 

  • Do Festival de Veneza

Custódia – Xavier Legrand  (Leão de Prata de Melhor direção)
Emma – Silvio Saldini  (Hors Concours)
Nico, 1988 – Suzanna Nicchiarelli
Sem Data, Sem Assinatura – VAhid Jalilvand
Os Versos Esquecidos – Aireleza Khtami
 

  • Do Festival de Berlim:

Felicité – Alain Gomes ( grande Prêmio do Juri)
O Outro Lado da Esperança – Aki Kaurismaki (Urso de Prata de melhor direção)
Noites Brilhantes – Thomas Airlan ( Prêmio de melhor ator)
1945 – Ferenc Török (Prêmio do público)
Ana, Meu Amor – Calen Peter Netzer (Prêmio de Edição)
Django – Étienne Comar (Abertura do Festival de Berlim)
 

  • De Locarno

9 dedos – F. J Ossang (melhor direção)
Cocote – Nelson Carlos dos Santos Areos
Irmão do Inverno – Hlynur Pálmason
Scary Mother – Ana Urushadze
Lucky – John Carroll Lynch ( um dos últimos trabalhos do ator Harry Dean Staton)
 

  • De Sundance:

Livre e Fácil – Jun Geng
 

  • De Roterdã:

Tempo de Qualidade – Daan Bakker
 

  • De Tribeca:

Mulheres Divinas – Petra Volpe
 

  • De South by Southwestern:

Inflamar – Ceylan Özgün Özçelik
 
Além dos destaques dos indicados de seus países à corrida ao Oscar 2018:
O Motorista de Taxi – Jang Hoon (Coréia do Sul)
Respiro – Narges Abyar (Irã)
Canção de Granito – Pat Collins (Irlanda)
A Sombra da Árvore – Hafsteinn Gunnar Sigurösson (Islândia)
Mil Cordas – Tusi Tamasese (Nova Zelândia)
Mãe no Gelo – Bohdan Sláma (República Tcheca)
El Inca – Ignacio Castello  Cottin (Venezuela)
 
E de 49 filmes brasileiros, dentre eles:
A Imagem da Intolerância – Joana Mariani e Paula Trabulsi
As Boas Maneiras – Juliana Rojas e Marco Dutra
Aurora 1964 – Diego di Niglio
Construindo Pontes – Heloisa Passos
Henfil – Angela Zoé
Não devore Meu Coração – Felipe Bragança
O Matador – Marcelo Galvão
Paulo Autran – Marco Abujamra
 
 
 

Sobre o Autor:

Editora do site Cinema & Movimento e crítica cinematográfica

Deixar Um Comentário