‘Ma’- Uma reflexão sobre Bullying

>>‘Ma’- Uma reflexão sobre Bullying

‘Ma’- Uma reflexão sobre Bullying

Por | 2019-06-09T12:25:06+00:00 30 de maio de 2019|Crítica Cinematográfica|0 Comentários

Ma (Horror/Thriller); Elenco: Octavia Spencer, Luke Evans; Direção: Tate Taylor; USA, 2019. 99 Min.

A Blumhouse é uma produtora voltada para o suspense e o terror. Criada por Jason Blum – o midas do gênero- ela vem diversificando suas produções e todas de uma qualidade inquestionável. De “Sobrenatural” a Whiplash”; de “Atividade Paranornal” ao oscarizado “Corra!”; de “Vidro” a “Infiltrados na Klan”. Agora é a vez de “Ma” um filme de suspense com cara de cotidiano que versa sobre, as possíveis consequências do bullying.

Sue Ann (Octávia Spencer) é uma pacata senhora de um cidade pequena que trabalha numa clínica veterinária. Um mbelo dia encontra alguns adolescentes que queriam comprar bebida para fazerem uma festinha. Ela os ajuda e uma conexão se inicia ali. A Abordagem é inteligente, quando deixa o espectador atento a detalhes para entender o que se passa. E no seu desenrolar, muito bem trabalhado, ela faz sentido. Scott Landes (roteirista) e tate Taylor (diretor) colocam o espectador no lugar de Sue. É impossível não lhe ser empática, não entender suas questões. E funciona muito bem.

A produção conta com Octávia Spencer de “Vidas Cruzadas” (2001) e “A Cabana” (2017); com a participação especial de Allyson Janney, oscarizada por “Eu, Tonya” (2017) e com uma ponta do próprio Tate Taylor como policial. O diretor é conhecido por “A Garota no Trem” (2016); “Get On Up: A História de James Brown” (2014); e, é claro, “Histórias Cruzadas”. Os destaques vão para o roteiro e para a atuação de Octávia Spencer.

“Ma” é um filme inteligente, no que diz respeito ao assunto e a abordagem inserida no gênero suspense, e à forma de fazê-lo. É um produto comercial de suspense que não decepciona quem gosta do gênero. Independente de qualquer preconceito que se tenha com filmes de terror/suspense “Ema” é altamente recomendável, quem vir não se arrependerá. Vale o ingresso.

Sobre o Autor:

Editora do site Cinema & Movimento e crítica cinematográfica

Deixar Um Comentário