‘Rocketman’ – Uma vitória diferente

>>‘Rocketman’ – Uma vitória diferente

‘Rocketman’ – Uma vitória diferente

Por | 2019-06-05T13:25:43+00:00 29 de maio de 2019|Crítica Cinematográfica|0 Comentários

Rocketman (Musical/Biografia/Drama); Elenco:Taron Egerton, Jamie Bell, Richard Madden, Brice Dallas Howard; Direção:Dexter Fletcher; UK/USA, 2019. 121 Min.

Já estamos acostumados a cinebiografias de cantores pop. No último Oscar o estilo foi o vencedor. Mas, dessa vez é diferente. O viés não é a fama, os títulos -Elton é cavaleiro da Ordem Real Britânica – nem ostentações, mas como Elton John vê o seu processo de amadurecimento e de conhecimento de si mesmo; além de se deter na sua libertação das drogas. O foco não está nas tragédias, nem na trajetória profissional, mas na vida e nas músicas. “Rocketman” não é um filme com música, é um musical, como “La La Land”. Esses são apenas alguns diferenciais do filme sobre o astro pop inglês dirigido por Dexter Fletcher , escrito por Lee Hall e supervisionado pelo próprio cantor.

O longa traz Elton John (Taron Egerton) num divã falando de sua vida, exorcizando seus demônios ao decidir parar de consumir substâncias lícitas e ilícitas. Durante a narrativa a personagem vai se despindo de um arcabouço de aparências e se tornando ele mesmo (que é a proposta existencialista da obra), logo se torna metafórica e semiótica. O filme é um show musical no cinema, com figurinos admiráveis – como era de esperar – assinado por Julian Day de “Bohemian Rhapsody” (2018) e uma fotografia digna de destaque assinada por George Richmond de “Kingsman: O Círculo de Ouro” (2017). Quanto ao diretor, Dexter Fletcher, seu último trabalho foi “Bohemian Rhapsody”. Foi Fletcher quem terminou o filme depois que Brian Singer foi demitido. Quanto ao roteirista Lee Hall é conhecido por “Cavalo de Guerra” (2011) e “Victoria e Abdul: O Confidente da Rainha” (2017).

“Rocketman” pode decepcionar quem está esperando algo a mais por conta da exuberância de Elton John. Mas, foi uma escolha que coloca um dos maiores nomes da música mundial em pé de igualdade com o espectador; Como um homem comum. Tecnicamente, o longa obedece a cronologia das músicas ao longo da vida do cantor dando um sentido para sua composição e/ou melodia. “Rocketman” é uma excelente pedida para quem gosta de cinebiografias e é fã do cantor. Enfim, em boas mãos e sob o olhar do dono da história, o longa acaba de sair do forno, está entrando em cartaz e está na pista para negócios.

Sobre o Autor:

Editora do site Cinema & Movimento e crítica cinematográfica

Deixar Um Comentário