Homem-Formiga e a Vespa: finalmente o mundo quântico

>>Homem-Formiga e a Vespa: finalmente o mundo quântico

Homem-Formiga e a Vespa: finalmente o mundo quântico

Por | 2018-08-02T23:38:58+00:00 1 de agosto de 2018|Colunistas|0 Comentários

Finalmente o primeiro filme Marvel Studios a ser lançado após Vingadores: Guerra Infinita. Depois de toda a tensão causada pelo clímax no Universo Cinematográfico da Marvel (MCU), Homem-Formiga e a Vespa foi uma ótima maneira de acalmar as coisas. Mais ou menos…

Devo alertar que esse artigo pode conter spoilers!!!

Leia por sua própria conta e risco a partir daqui!!!

Primeiramente, o filme se passa quase dois anos após os acontecimentos de Capitão América: Guerra Civil. Scott Lang (Paul Rudd) aceitou um acordo para cumprir dois anos de prisão domiciliar e monitoramento em troca da oportunidade de continuar em contato com a filha. Mas, faltando três dias para que a condicional termine, ele é “sequestrado” por Hope Van Dyne (Evangeline Lilly), que devido a um sonho estranho relacionado ao Mundo Quântico acredita que ele tem algum elo com sua mãe, Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer), devido à forte influência que esse mundo extremamente complexo exerce sobre a mente humana.

Uma das primeiras coisas que eu notei, e sem dúvidas o fato mais divertido, foi que Lang, ao ir ajudar o Capitão América contra aqueles que assinaram o Tratado de Sokovia (Capitão América: Guerra Civil), o fez sem o conhecimento de Hank Pyn (Michael Douglas), a mente por trás do traje do herói e Hope Van Dyne, sua… Parceira (Se é que me entendem…). Isso fica bem claro logo na primeira cena em que eles aparecem juntos, já que aquela rivalidade-não-tão-hostil que eles tinham no início do primeiro filme (Que até evoluiu para um relacionamento!) é substituída por um comportamento definitivamente hostil. Apesar de pai e filha, dois fugitivos, saberem que precisam da ajuda do Lang de algum jeito, isso não os impede de ficarem furiosos com as consequências dessa “missão”. Mas rende muitos momentos divertidos para os espectadores. Como, por exemplo: a reação de Hank a suposta destruição do traje do Homem-Formiga, nas palavras do cientista, “a obra de sua vida”, e depois novamente sua reação ao fato de Scott não ter destruído o traje, arriscando expor sua tecnologia!

Outro ponto que chamou minha atenção foi como mais uma vez o ego do Doutor Hank Pyn foi usado contra ele. Ficou claro desde o primeiro filme que ele é prepotente no que se tratando de seu trabalho com a Partícula Pyn, tendo a certeza que ninguém, nem mesmo Tony Stark (Robert Downey Jr.) conseguiria replicá-la. No entanto, quando seu ex-pupilo aparece com algo próximo ao seu trabalho original ele é obrigado a confrontar a possibilidade de outro alguém ter desvendado a maior descoberta de sua vida, que é o que o leva a recrutar Scott para resolver seus problemas. Mais uma vez vemos sua própria relutância em enfrentar suas limitações ou reconsiderar seus próprios erros de julgamento quando sua filha sugere que recorram a um de seus antigos associados em busca de ajuda. Bill Foster (Laurence Fishburne), alguém que ele acreditava nunca ter atingido nada em sua carreira e que ele julgava um cientista medíocre, foi o único capaz de ajudá-lo, mesmo que movido por interesse pessoal. Imagina se os produtores tivessem seguido a linha cronológica dos quadrinhos e introduzido o primeiro Homem-Formiga como um dos criadores do Ultron (Papel muito bem adaptado para Bruce Banner, interpretado nos filmes dos Vingadores por Mack Ruffalo)? Teria sido um desastre, para dizer o mínimo…

E finalmente a cereja do bolo: o Mundo Quântico. Apesar do filme ter tido suas cenas de ação, o foco com certeza estava concentrado em apresentar a nós o mundo onde Janet passou 30 anos presa, incapaz de regressar ao tamanho original depois de se tornar subatômica. A primeira vez que tivemos um vislumbre desse novo mundo foi quando Scott Lang entrou em estado subatômico para salvar sua filha de Darren Cross (Corey Stoll), mas, diferente de Janet, ele achou uma maneira de retornar ao tamanho original. Movido por esse acontecimento, Hank construiu um aparelho que ele acreditava capaz de viajar ao Mundo Quântico e voltar, dando assim a chance a ele de resgatar sua esposa. O filme gira em torno disso, a busca pela antiga Vespa e todas as implicações de entrar e sair do Mundo Quântico, coisa que só foi feita uma vez e por acidente! Ver essa empreitada ser realizada foi… Uau.

Outra coisa interessantíssima foram as habilidades que Janet pareceu adquirir devido ao seu tempo exposta a realidade de sua prisão. Em uma cena com a Fantasma, nos momentos finais do filme, ela é capaz de “concertar” o problema a nível quântico de Ava Starr (Hannah John-Kamen) e devolver a suas células estabilidade. Ficam as perguntas. Como ela fez isso, exatamente? O que ela fez com o Hank para impedi-lo de enlouquecer enquanto eles ainda estavam no Mundo Quântico? E, fazendo referência ao que ela diz ao marido, o quanto aquele lugar a mudou e de que formas? Os produtores deixaram isso bem em aberto, mas essa é também uma oportunidade de desenvolvimento futuro.

Para encerrar, aquela cena extra. Não, não estou falando da formiga com a bateria. Estou falando de Hank, Hope e Janet virando pó! Agora, se você viu Vingadores: Guerra Infinita, você sabe o que isso quer dizer… Na cruzada de Thanos para cometer apenas meio genocídio contra todo o universo, eles foram apagados da existência. Ou apenas enclausurados na Joia da Alma, quem sabe? Mas o mais aterrorizante nessa cena não é a morte de dois dos mais brilhantes cientistas do MCU, um deles com habilidades resultadas de exposição prolongada ao que podemos chamar de realidade alternativa, e sua filha, agora a heroína conhecida como Vespa. Não… O mais chocante dessa cena extra, na minha opinião, é o fato de que agora Scott Lang está preso no Mundo Quântico da mesma maneira que Janet esteve (talvez isso justifique sua ausência em “Vingadores: Guerra Infinita). A ausência completa de todas as pessoas que saberiam como tirá-lo de lá é, no mínimo, preocupante. No máximo, ou ele enlouquece como o Hank ou fica como a Janet, que precisou de anos lá para superar a loucura e ganhar conhecimento.

Scott esteve ausente diretamente dos eventos em Guerra infinita, mas, aparentemente, ele não ficará por muito tempo… Quem sabe qual será o resultado que o período que ele passar nessa realidade complexa fará com ele, mas, independentemente disso, podemos esperar alguma mudança no atual Homem-Formiga e sua participação na Guerra contra Thanos. Talvez até ajudando a recuperar os heróis “mortos”…

Sobre o Autor:

Eu sempre vi a mim mesma como alguém mais de livros e personagens fictícios do que pessoas...Se eu fosse compactar minha vida, diria que eu sou um pouquinho de cada livro que li, de cada filme que vi e de cada série que acompanhei. E coloco muito de mim em tudo em que escrevo, porque eu realmente não sei ser imparcial.

Deixar Um Comentário